30 de agosto de 2017

quercus cuccifera

espraimo-nos como os arbustos, densificamos ramificações como as carrasqueiras. cumprimos destinos programados e apresenta-mo-nos a mais lugares do nosso próprio território. os passadiços em espinha, e não em labirínto, são obra espontânea de registo, sem intervenção estética programada. o sado estava pantanoso e o sol não estava no lado certo do momento mas esticamo-nos até o máximo possível.  corremos entre arrozais, esmagamos banana para alimentar a cria pequena entre as estacas mais seguras e aviamo-nos de ostras. um dia voltamos a tentar catalogar aves, a apanhar o sol a pôr-se e a tentar descodificar se a recolha de grãos tão pequenos dá mesmo todo o trabalho que imaginamos.

29 de agosto de 2017

exclusividade de memórias


os dias em que constroem a equipa perfeita, em que se estimulam mutuamente, em que se encaixam nas vossas diferenças. os dias em que construímos as nossas próprias memórias, os dias em que construímos a história da família que fazemos acontecer. os dias em que nos entregamos a nós são os melhores.

28 de agosto de 2017

into the wild


às vezes chegas-me do paleolítico e descarregas raivas, frustrações e conflitos de uma forma mais grotesca. Guardas tanto no baú e descarregas tão pouco e tão devagarinho que quando as horas passam e as passas a afiar pedra da forma mais artesanal, ancestral e meticulosa olho o calendário a ver se nos enfiamos into the Wild muitas vezes. saíram dezenas de ferramentas cortantes que qualquer homem do paleolítico teria negociado em troca direta. és um fazedor. tens o poder de fazer e fazer é poder .

25 de agosto de 2017

this moment



o ano em que passaste a dominar os mergulhos.

eu vista por mim

eu vista por mim
novembro1982